PT | EN

Serra da Fragas

Saúde e Nutrição

O LEITE E O QUEIJO DE CABRA

O LEITE DE CABRA DE BOA QUALIDADE TEM UM SABOR MUITO AGRADÁVEL, LEVEMENTE DOCE E LEVEMENTE SALGADO

 

O leite de cabra possui algumas características especiais que o distinguem, pela positiva, do leite de vaca e de ovelha. 

  • Menor teor de gordura
  • Maior teor de cálcio
  • Mais fácil digestão
  • Menor valor calórico
  • Bom para as pessoas que são intolerantes à lactose. 

 

Sobre este último ponto, podemos acrescentar que mesmo quem é intolerante à lactose por vezes é capaz de tolerar o queijo de cabra, o mesmo não acontecendo com queijos produzidos a partir de leite de vaca, mais difíceis de digerir. Os níveis de lactose são semelhantes, mas as moléculas de gordura nos queijos de cabra são mais pequenas, tornando-os de mais fácil digestão.

 

Ao contrário do leite de vaca, não é necessário homogeneizar o de cabra: enquanto os glóbulos de gordura no leite de vaca tendem a separar-se até à superfície, os glóbulos do leite de cabra são bastante mais pequenos e permanecem suspensos na solução.

 

 

O hábito de consumo generalizado está orientado e assente na preferência de leite de vaca em detrimento do de cabra. Isto deve-se, por um lado, à tradição enraizada do consumo do leite de vaca mas, também, pela existência de uma ideia preconcebida que onera o leite de cabra com características que não correspondem à realidade. Um outro preconceito está relacionado com a mais fácil transmissão de doenças – a brucelose, por exemplo – pela ingestão de leite ou queijo de cabra. Ora esta ideia tendo algum fundamento histórico, é totalmente descabida nos tempos atuais, desde que se escolha com critério a origem desses produtos. 

 

Na Serra das Fragas, os rebanhos são selecionados de acordo com a qualidade do leite e o estado sanitário das explorações. Este, devidamente validado e atestado, pelas entidades oficiais competentes. Todos os produtos fabricados na Serra das Fragas provêm da utilização de leite pasteurizado. 

  • Quais as vantagens do leite pasteurizado?

    Reduz de forma notável o número de germes e bactérias e permite que os alimentos possam ser conservados em devidas condições por um período de tempo maior.

     

    A Serra das Fraga, seguindo as normas de fabrico mais exigentes, só comercializa produtos obtidos a partir de matéria-prima pasteurizada. Para o efeito, detém equipamentos modernos e automáticos que garantem a pasteurização do leite segundo padrões rigorosos.

     

    A pasteurização é um processo desenvolvido pelo cientista francês Louis Pasteur (1822-1895).

     

    Consiste em submeter um produto alimentício (leite, no nosso caso) a uma temperatura elevada durante um curto período de tempo seguido de um arrefecimento brusco.

  • O queijo pode ser congelado?

    Existem alguns tipos de queijo que podem ser congelados sem que com isso percam as suas principais qualidades.

     

    No  queijo de cabra, o seu baixo teor de gordura, não permite que, após a descongelação, sejam conservadas as suas principais caraterísticas de sabor e textura, resultando um produto incaraterístico de menor qualidade.

  • Posso comer a casca do queijo?

    A casca de todos os queijos Serra das Fragas é comestível.

     

    A casca do queijo resulta do endurecimento da sua pasta resultado do processo de secagem – a cura.

     

    Nas curas tradicionais como a que é utilizada na nossa empresa, a casca, estando limpa, é queijo e pode e deve ser comida.

     

    Lave o queijo em água morna antes de o comer. Seque-o bem e disfrute da plenitude do seu sabor. Completamente.

     

    A industrialização dos processos de fabrico leva a que, algumas empresas, para poderem comercializar os seus queijos mais rapidamente e para que estes, no expositor dos clientes, mantenham sempre o seu melhor aspeto, recorram a pastas de recobrimento que, em muitos casos pouco diferentes são de uma película plástica. Atente-se na rotulagem, desses produtos que, por vezes de forma pouco visível mencionam o facto de não se poder comer a casca.

     

    Os queijos de casca comestível, mais saudáveis, requerem, contudo, maiores cuidados na sua conservação. Tendem a ganhar bolores que, sendo naturais, podem criar alguma relutância nos consumidores menos habituados. Erradamente, como se pôde aperceber.

  • Como é que a região de produção influencia o sabor do queijo?

    Sendo o queijo um produto obtido por transformação de leite, é intuitivo que as suas caraterísticas e por consequência as de todos os produtos resultantes da sua transformação, dependem direta e imediatamente da alimentação proporcionada aos animais.

     

    Este facto maior relevância assume quando nos referimos a rebanhos explorados em regime extensivo: em pastagens naturais.

     

    Julgamos, ser fácil concluir que a fertilidade natural do ecossistema e a sua sazonalidade são determinantes, obrigatoriamente, na composição do leite e no seu comportamento enquanto matéria-prima.

     

    A diversidade natural que se observa na distribuição geográfica dos rebanhos, em correlação com as condições climáticas das diferentes zonas, é, pois, um fator determinante nas caraterísticas dos leites e, neste caso, dos queijos que deles se obtêm.

     

    Nos regimes intensivos, nos quais a alimentação dos rebanhos é feita por recurso a rações o mesmo já não se verifica de forma tão vincada.

     

    É fator primordial para a obtenção de queijo de qualidade a seleção criteriosa dos rebanhos e das suas condições de manutenção.

  • O sabor do queijo deve ser sempre o mesmo?

    O queijo é um produto natural que, depende de muitos fatores: geográficos, climáticos, conservação e manutenção dos rebanhos, armazenamento e transporte do leite, condições de manipulação e transformação, entre outros.

     

    Assim, existem condicionantes nem sempre passíveis de controlo – a alimentação do rebanho, por exemplo – que suscitam a alteração das caraterísticas de sabor e textura: o que o rebanho come na primavera é muito diferente do que tem disponível no outono. Logo o produto final terá de ser, forçosamente diferente, dando-lhe mais personalidade.

BRANDNEWBOX